19 de julho de 2010

Não falarei sobre política

“Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.” (Eça de Queiroz)

15 de julho de 2010

Como ser feliz - Parte 2

No texto anterior, falou-se a respeito da predisposição psicológica a ser feliz. Provavelmente porque a felicidade é um estado de espírito, não qualquer coisa palpável. Entretanto, ao buscá-la, muitas vezes nos agarramos a posições, empregos, situações, pessoas ou ainda objetos materiais. Além da compreensão de que cada uma dessas coisas não é a felicidade e que podemos ser felizes independentemente daquilo que um dia passamos, é preciso ter atitude. Em acréscimo à consciência de que se deseja a felicidade, é necessária a coragem de realizar mudanças efetivas – não só as de estado emocional e posicionamento psíquico.

14 de julho de 2010

Como ser feliz - Parte 1

Todos nós temos defeitos que nos atrapalham a felicidade e que, se avaliarmos a fundo, a maior parte deles está atrelada a fatores que nos foram impostos desde a infância e adolescência, na etapa da construção das nossas principais linhas de caráter. Se somos inseguros, ciumentos, violentos, desconfiados, se não nos damos socialmente bem, se guardamos mágoas, tudo isso pode ter um fundo psicológico guardado no nosso passado conscientemente ou não. De forma geral, podemos atribuir diferentes falhas de caráter a terceiros agentes que conosco conviveram ou aos ambientes em que nos inserimos. Mas seria isso absolutamente correto?

1 de julho de 2010

Postura perante a traição na relação amorosa

Não são poucas as pessoas que se deparam com a traição em sua vida amorosa. Podemos perceber que a situação, apesar de complexa, é bastante banalizada no trato comum. Por mais engraçada que seja a piada que pode ser construída a partir da situação, a traição de fato deve ser encarada de forma mais realista. É uma grande tristeza, uma enorme decepção, uma raiva imensa, uma luta interna. Recomenda-se, principalmente às mulheres, – já que os homens em geral não têm tendências ao perdão nesse quesito – que repensem seriamente o seu relacionamento.

É preciso enfrentar o acontecido sem tendências a se enganar. Saiba que, se o outro teve a fraqueza de não sustentar sua própria escolha, essa falha de caráter pode ser suscetível a reincidências. Segundo o psicólogo Thiago de Almeida, dificilmente relacionamentos estáveis se recuperam após uma infidelidade.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget