25 de novembro de 2010

Inimizade gratuita: o que foi que eu fiz?

 Não é raro alguém nutrir uma antipatia sem que o objeto de desafeto tenha efetivamente cometido algum erro. Diante de pessoas que ostensivamente ou pelas costas demonstram a inimizade, a vítima se pergunta: o que foi que eu fiz? O que acontece é que é difícil perceber e aceitar que a inimizade pode ser gratuita, originada simplesmente de uma falha na personalidade de quem a nutre.

20 de novembro de 2010

Homossexualismo e homofobia: a querela deste século

A homossexualidade é muitas vezes considerada uma escolha, mas isso não necessariamente é verdade, ela é frequentemente uma característica. Não é raro o caso de crianças que desde pequenas têm características que se identificam mais com o sexo oposto do que com o próprio sexo, ou outras que desde já pequenas nutrem afetos por coleguinhas do mesmo sexo. Então não há como dizer que este é um comportamento aprendido ou que é resposta a estímulos na educação. Mesmo porque, entre os homossexuais, o que mais há são filhos que contrariam as crenças dos próprios pais na sua afirmação sexual.

9 de novembro de 2010

Tabu: sexo antes do casamento

A nossa sociedade pende sempre entre o libertino e o pudico. Como ponderar os dois extremos em matéria de sexo?! Um dos tabus mais recorrentes diz respeito ao sexo antes do matrimônio. Muitas vezes, algumas pessoas são levadas pela sua crença religiosa ou pelo conservadorismo social a acreditar que o sexo não é correto antes do casamento. Por que existe essa vinculação?!

6 de novembro de 2010

Enfrentando a vida

Com alguns minutos de reflexão, podemos concluir que nascemos destemidos. A criança pequena precisa ser vigiada o tempo todo pelos pais para não cair da cama, não pegar a faca, não sair à rua. Então, de onde surge o medo? O medo tem duas origens: o aprendizado e o trauma. Você pode aprender com os pais que não deve pegar a faca senão ela machuca, como também aprende a ter medo de se machucar porque já passou por isso. Os dois tipos de aprendizado são em resposta à dor: ou presumida, ou sentida de fato. A outra origem do medo está nos traumas que contraímos durante a vida. O trauma pode ser definido como um aprendizado brusco em resposta à dor sentida ou a um sentimento muito forte. Há, também, quem afirme que o trauma é uma resposta a qualquer sentimento forte de mudança, mesmo que para melhor.

Em geral, o medo deve ser considerado um aliado à preservação da vida. Mas como todo remédio, há uma dosagem correta para cada paciente. O medo excessivo é caracterizado na psicologia e psiquiatria como fobias: fobia de escuro, fobia de lugares altos, claustrofobia, fobia social etc. Existem métodos disponíveis em consultório para se tratar esses medos acentuados que, em geral, têm origem no trauma. Além disso, também, só em consultório alguém consegue o apoio para a solução de traumas complexos, como os advindos de um acontecimento trágico. Mas se nada de tão trágico aconteceu com você, permita se autoanalisar perguntando: por que, em certos momentos, você tem medo da vida?

1 de novembro de 2010

Muito além do chá para tratar a insônia

A insônia é dificuldade em dormir, o sono inadequado, ou ainda de baixa qualidade. Os causadores mais comuns dessa anomalia do sono são o estresse, a ansiedade, a depressão e fatores ambientais, como o barulho e a luminosidade. Além disso, hábitos inadequados como comer antes de dormir, inatividade física e irregularidade de horários também levam ao aparecimento da insônia, juntamente com o uso de alguns tipos de medicamentos (para pressão arterial, antidepressivos, antialérgicos, emagrecedores etc.) e outras substâncias (cafeína, álcool e nicotina).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget