12 de janeiro de 2011

Liberdade de criança

Quando somos crianças, temos sempre um adulto para fiscalizar nossas ações. Mas além desses limites que os adultos impõem, não temos outros: podemos fazer o que quiser. A criança senta no chão a qualquer hora, a menina levanta o vestido, o menino põe fogo na cortina. Isso só começa a ser diferente quando os responsáveis conseguem o mínimo de autoridade e a partir dela estabelecem regras e limites.

Outro dia eu estava observando uma menina rodopiar no poste, sentar no chão com short branco e pôr a mão, que foi ao chão, na boca. Quem acompanhava era a avó, que não fez questão de nada. É que os idosos têm a sabedoria de apreciar e permitir a infância. É lógico que eu mesma teria medo de passar ridículo ao rodopiar, não sentaria no chão para não ter que lavar a roupa e nunca poria a mão suja na boca. Mas refleti a respeito.

Sempre que eu me lembrar, quero poder me permitir a mesma liberdade de criança apenas com os limites que eu mesma me impuser – não mais a sociedade, não mais o que os outros pensarão. Se o short branco não vale a pena sujar, terei um papel para me sentar. Caso o sapato incomode, ficarei descalça, depois me lavo os pés. Se o vento me despentear, pentearei os cabelos mais tarde!
 
 
Autora: Érica Marina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget