22 de março de 2011

Tente se livrar

Tente se livrar do peso da vida e das obrigações impostas: muito disso não é necessário. Tente se livrar do que você acha que deveria fazer, ou pior, do que você pensa que os outros acham que você deveria fazer. Repense o tempo todo nas escolhas que você fez: sempre há tempo de recomeçar. Sinta-se vivo até o último dos seus dias. Esteja sempre pronto para jogar tudo para cima. Experimente. Exercite novas rotinas. Não se deixe acostumar. Não espere nada acontecer. Sempre deixe espaço para fazer o que gosta: trata-se de terapia gratuita e talvez seja oportunidade de negócio no futuro.

Não guarde coisas de que você não precisa: deixe os objetos e as energias circularem, pois o que não é útil para você pode ser útil para outro. E se for algo que deve ir ao lixo, você estará transformando o seu espaço em lixeira. Recicle seus sentimentos: transforme as emoções ruins em compreensão ou, no mínimo, indiferença. Alimente seus bons sentimentos, e isso lhe poupará gastos médicos.

Permita-se. Quantas pessoas não vivem sentimentos antagônicos à felicidade, sem coragem para efetivar uma mudança? Quantas amizades potencialmente profícuas já não foram desperdiçadas em nome dos interesses de uma amizade anterior? Quantas pessoas já não compartilharam a vida, sem compartilhar os sentimentos? Quantas vezes o medo não encobriu a perseverança? Quantas vezes o orgulho não falou mais alto que o amor?

Melhore-se. Quantas pessoas já não afagaram uma esperança de amor alheia apenas em benefício do seu próprio ego? Quantas vezes alguém tentou esquecer uma pessoa na ilusão de forjar um novo amor? Quantas vezes não houve quem denegrisse os outros para sua própria evidência? Quantos erros não foram encobertos sob a dissimulação? Quantas vezes não nos negamos a nós próprios?

Invista em si mesmo: se quem lhe tem hoje não o quiser mais, você ainda estará valorizado. Ame-se: se o amor com quem você escolheu não der certo, ainda haverá muito amor para dar. E acima de tudo, sinta-se livre. Quando você perceber que pode jogar para cima o que quiser, você terá um maior comprometimento com o que escolheu hoje, pois este será realmente o seu desejo. Viva a vida que você realmente quer. Só não se esqueça da responsabilidade que isso implica.

Autora: Érica Marina


Obs: Este texto é uma coletânea-resumo de outros textos relacionados deste mesmo blog (Muito Fosfato).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget