2 de agosto de 2011

Eu não quero ser a mocinha!


Está certo que hoje em dia, honrando a inteligência dos espectadores, a maioria dos filmes está repleta de personagens complexos: ou seja, não são totalmente bons nem maus, assim como qualquer pessoa real. Mas ainda hoje em dia os filmes hollywoodianos utilizam de certos estereótipos de longa existência como o mocinho, a mocinha, o herói, a heroína, os vilões.
Agora, o que me incomoda mesmo é que ainda existem muitas “mocinhas” nos filmes. Pelo simples fato de que as mocinhas não são o equivalente feminino dos mocinhos. Eu explico: certos roteiros colocam toda a pró-atividade e capacidade de decidir na mão de um homem. E ele não precisa ser necessariamente um mocinho: pode ser um bandido, pode ser um personagem complexo, pode ser quem for... mas é um típico “machão”. Então ele deixa a sua mocinha em um local seguro e diz para ela: “Não saia daqui!”. Ou então ele tem que resgatar a estúpida mocinha, que com certeza fez alguma bobagem... E a mocinha para que serve? Serve para dar emoção ao filme: tropeça no salto, grita enquanto o vilão se aproxima e denuncia o seu esconderijo, coisas desse tipo!
Gostaria que as mulheres fossem interpretadas de maneira pró-ativa e inteligente. Todavia, o mais importante para mim é que as mulheres possam, na vida real, desenvolver esse papel complexo. Mulheres, um apelo: da mesma forma que vocês aprenderam que o príncipe encantado não existe, não deixem de combater a “mocinha” que existe em vocês! Tenham atitude! Se você não puder encarar o inseto de perto... jogue um spray de veneno nele! Se você não puder abrir o pote de azeitona, esquente um pouco a tampa, aproximando-a da chama do fogão. Se você não alcançar a lâmpada, pegue uma escada! Não espere o machão chegar para resolver tudo para você! Não façam escândalo à toa! Usem a informação, a inteligência, a técnica, o jeito, para o que vocês não puderem resolver com a força bruta. Aliás, a vida tecnológica de hoje exige cada vez menos força mecânica.
Por fim, deixem para acreditar no mocinho e na mocinha quando for atuar no papel romântico da sua vida! Cultive o romance de vocês, respeitando as diferenças, sem, contudo, forçá-las. Não faça a ele exigência de perfeito cavalheiro, nem se torne a patética mocinha.

Autora: Érica Marina

14 comentários:

  1. Muito legal o seu post, faz todo sentido!!! Você devia assistir o filme Inverno da Alma. A mocinha do filme passa por muitas situações difíceis e não aparece nenhum mocinho para salvá-la, a única que da uma força é uma vizinha.

    ResponderExcluir
  2. Nas primeiras linhas eu já sabia que uma mulher tinha escrito este post, pelos argumentos fracos e vazios.
    Enfim quanta falácia, senhora feminista modernete autora deste post.
    A real é que a mulherada adota o feminismo quando lhe é conveniente. Uma hora gritam pra todo mundo que tem direitos iguais(Mentira, querem direitos, privilégios, NADA de deveres, só lucros e nada de prejuízos, a parte ruim fica pros homens. Mas isso as feministas sequer comentam, que engraçado), em outra hora ficam fragéis, meigas, inseguras, ativando o instinto de proteção masculino.
    Ou seja, dependendo do momento, feministas girl power, ou fragilzinha menina indefesa.
    Falou uma verdade, que hoje tem muita tecnologia. Não é a toa que por este fato as mulheres estão no mercado de trabalho. Claro que estão, com empregos seguros, fáceis, que muitos não exigem sequer inteligência. Queria ver se fosse nos anos 50, com empregos exigindo força física e tendo risco de vida, se essas feministas iam tanto lugar pelo direito ao trabalho. Com certeza não iam, folgadas e hipócritas como toda feminista é, não mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. E você é machista. --'
      E não esqueça de que na época da Revolução Industrial, crianças, homens, e MULHERES trabalhavam em fábricas que exigiam força física e ofereciam muitos riscos de vida.

      Excluir
  3. kkkkkkkkkkkk
    Vou deixar meu protesto tbm, quando fizerem filme de vampiros, Atenção diretores de Hollywood não os deixem tão Gays! E quando extraterrestres invadirem a Terra não cheguem atirando... vamos conversar primeiro e talz... isso que vcs fazem é Bulling!

    Sem querer ofender mas esse post não vai dar em nada. Cinema é uma forma de entretenimento, os roteiros clichês com mocinhas e vilões são uma excelente maneira de ganhar G-R-A-N-A! q é o q interessa pra eles. Não interessa se existem mulheres guerreiras, destemidas e corajosas como na vida real... se a mocinha boba e inocente é o que da lucro, eles farão assim para sempre!

    Pior que mocinha pateta nos filmes é a Mulher Herói que bate em caras com 2 metros de altura com 150kg de músculo.

    Eu tbm não gosto, mas reclamar disso é "chover no molhado"... se não agrada, não vá ao cinema.
    Mas se for cinéfilo como eu evite filmes de ação ou a melhor coisa, leia algum livro, assista um documentário. Quem não quiser ser a "mocinha" que não seja... não será um filme que decidirá isso por vc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Provavelmente intenção da autora do texto não é de mudar a forma com que se fazem os filmes, e sim abrir um pouco a cabeça.

      Excluir
  4. maldito feminazismo
    pq a mocinha é diferente do mocinho pelo simples motivos que eles tem coragem,força e audacia pra salvar as tontas nos momentos de perigo simples.quer deixar de ser mocinha vai levantar um muro ou trabalha numa mina de carvao

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MACHISTA, MACHISTA, MACHISTA, você devia pensar um pouco antes de escrever besteiras por ai. (:

      Excluir
  5. Vou deixar os comentários machistas, pois o que escrevem não muda o que eu já escrevi (já está escrito...). Não tiro toda a razão dos comentários, por isso os deixo aqui como confronto de opinião. De qualquer forma, não tenho obrigação de publicar ofensas pessoais.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Ao segundo anônimo....achei ótima sua comparação de épocas, não sou feminista, mas muito interessante saber que antes os empregos eram diferentes, e que o feminismo é atual, já que antes as mulheres não reclamavam essas regalias!!!Agradecemos a aula de história!!!

    ResponderExcluir
  7. Anônimo 2º

    -Sabia que hoje as empresas quem não tem 60% de seu pessoal feminino tende a falência?

    -O grande problema não é o trabalho braçal antigo, ou a entrada da mulher do mercado de trabalho através da evolução tecnológica. O problema são os extremistas, tanto feministas quanto machistas.

    -É completamente possível uma mulher pagar a sua entrada no cinema e ainda ser feminina e romântica.

    -Ao dizer que as mulheres assumem empregos que não necessitam de inteligência esquece que temos um mulher no poder do Brasil? Na minha opinião isso exige pelo menos poder de persuasão da massa de manobra que a população brasileira (homens e mulheres)

    - Sermos " feministas girl power, ou fragilzinha menina indefesa." não é na verdade nosso maior poder de manipulação?

    -Nós lutamos, vencemos, evoluímos. Vocês homens se mantem em uma posição estável sem grandes esforços. Quem realmente tem a inteligência? Sua mãe ou você?

    ResponderExcluir
  8. Anônima feminista?

    -Mulheres não nasceram pra comandar, pois são ilógicas, emotivas. Eu já vi "Chefes", "Gerentes" mulheres tendo colapsos, faltando sentar e chorar quando a coisa aperta. Homens nasceram pra comandar, somos lógicos, usamos a razão, especialmente em situações de escolhas em empresas.

    -O problema são mulheres que só pensam em carreira, virando robôs com lavagem cerebral feita pelo feminismo que só pensam em fazer dinheiro. Esquecem da família, marido, filhos, odeiam isso. Aí depois não sabem porque tem uma vida vazia e com único objetivo de trabalhar e no final de semana ir pra baladas exercer sua pseudo liberdade
    -Pois é, não existe mais mulher romÂntica e feminina. Aliás, homens são mais românticos que mulheres. Mulheres hoje, odeiam caras românticos e bonzinhos, quando são romÂnticas geralmente é teatro.
    -Dilma chegou onde chegou porque usou a famosa escadinha, e com Lula apoiando conseguiu mais votos. Porque antes dela se candidatar, aposto que muitos sequer sabiam da existência de dilma. Também a nova ordem mundial, não me surpreendo que esteja pelo meio. Esquedismo e feminismo é lei hoje, e a Dilma tá fazendo isso direito.
    -Ah quer dizer então que é uma beleza ser hipócrita e mudar o discurso pra obter lucros e privilégios? pqp viu, isso é canalhice feminina, e nada mais.
    -Lutaram, venceram, evoluiram? Antes tinham tudo do bom e do melhor, cuidavam dos filhos, amavam os maridos, eram esposas honradas. Agora modernetes fúteis que só pensam em ganhar dinheiro, utilitaristas, na juventude moças ficam dos 15 aos 25 anos ficando com altos cafajestes e desprezando homens bons e corretos, e a partir dos 30 com o físico começando a ficar um lixo, tentam arrumar um provedor bonzinho pra não ficar pra titia. E senão conseguem, vivem a base de anti depressivos e 20 gatos em casa pra fazer companhia. Onde há evolução nisso??!! pqp viu!!
    Posição estável sem esforço? Nós homens não conseguimos promoções usando o corpo. Desde adolescentes somos forçados a trabalhar, senão somos vagabundos. Enquanto isso as princesas são poupadas a estudar e só vão caçar emprego muitas vezes depois dos 24 anos. Isso sem contar a vida fácil cheia de regalias das mulheres não é.
    Se um homem quer ser bem sucedido, ele tem que ralar muito, estudar muito, dar o sangue.
    Uma mulher, se tudo der errado vira prostituta, ou casa com um ricaço. Legal não?

    Pra finalizar, leia isso aqui: http://silviokoerich.blogspot.com/2010/07/serie-homens-o-motor-da-civilizacao-os.html

    E veja como até seu feminismo que deve se orgulhar tanto, foi criado por HOMENS, e não mulheres: http://www.homenshonrados.com/forum/viewtopic.php?f=2&t=2154


    Sem mais!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, machista. Pare de generalizar, até parece que todas as mulheres são fúteis e só pensam em dinheiro ou em aproveitar a vida. Muitas realmente trabalham duro. E ser meiga ou não depende da personalidade e não do ser ou não ser mulher.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget