12 de agosto de 2012

Aniversário

Eu tenho uma ânsia de fazer e viver que eu acho que não cabe na minha vida toda. Irrequieta, sempre, eu me habituei a buscar um novo passo quando eu mal terminava o primeiro. Eu não acredito no ócio e a felicidade contemplativa me estressa se prolongada por muito tempo.

Hoje é o dia do meu aniversário. Em geral, meu processo criativo para textos costuma ser lento. Eu penso, leio, escuto, repenso e guardo em algum lugar. Mas quando sento para escrever, é como se eu levantasse um prédio de infraestrutura pré-fabricada. Em pouco tempo surge a obra como um todo.

Entretanto, estou em uma fasezinha em que as ideias não se encontram para se costurar em algum sentido. Estou levantando um trampolim, mas já planejando um salto. Sendo minuciosa e cuidadosa nas medidas e tendo que segurar meus ímpetos – dialeticamente dividida entre meticulosa e tempestiva.

Eu queria ser mil, tenho planos para muitas vidas. Tenho projetos acumulados que não sabem abrir passagem uns para outros para se organizar em uma ordem de preferência. É isso que eu sinto hoje no dia do meu aniversário.

Por algum motivo Deus quis que neste aniversário minha saúde estivesse mais ou menos abalada. Para que eu dê valor à saúde talvez? Não. Se eu fosse mais velha talvez eu acreditasse que o importante é ter saúde. Espero nunca me sentir velha assim. Porque o que eu acredito hoje é que é importante viver com plenitude, abrir portas e vencer a si mesmo.

Os atletas olímpicos estão aí para mostrar que superar a humanidade de si mesmo pode causar a lesões e contusões. Acredito que a superação de mim mesma e meu desabrochar como ser humano, às vezes esgota minha própria psiquê e abre as portas para uma queda da imunidade – nem meu corpo aguenta. Mas aqui estou eu e sou feliz assim. Sinto-me realizada não pela conquista, mas pelo planejamento contínuo de novas conquistas.

Esta sou eu e assim que me sinto no dia do meu aniversário. Não depressiva, nem mais velha, pois mais velha eu me sinto a cada dia – e cada dia que passou é uma oportunidade de vida. Em vez de amargar por aquilo que passou, eu anseio em ter sempre mais, em viver sempre mais.  No meu aniversário, eu me sinto mais uma vez livre para tomar decisões e ser eu mesma. É meu instante contemplativo a caminho da felicidade. E amanhã, mãos à obra mais uma vez.

Autora: Érica Marina

3 comentários:

  1. Parabéns pelo aniversário, pelo texto. Felicidades mil, Érica! Tudo de bom pra vc! Ayza.

    ResponderExcluir
  2. adorei seu texto ... tenho o mesmo problema.. :)

    ResponderExcluir
  3. Parabéns atrasado!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste gadget